sexta-feira, 15 de abril de 2011

Meio dia

Dança no meu olhar
A brisa morna do meio dia
Enquanto eu prossigo
A caminhada que me propus
Dança comigo a quietude
E o silêncio neste meio dia
De ainda te abraçar.


Paula Raposo - Fevereiro de 2011

15 comentários:

Maria disse...

Voltaste! E ainda bem...

:)

Sonhadora disse...

Minha querida

Sereno...doce e leva como uma brisa.

Deixo um beijinho
Sonhadora

mfc disse...

Linda esta confissão de amor!

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Um abraço é um conforto que tudo diz...

Bjs.

Natália Augusto disse...

Como é bonito o Amor.

Adorei o poema. É simples, mas belo. Diz tudo o que é essencial.

;)

rouxinol de Bernardim disse...

Aqui vim matar saudades... e matei esta sede de poesia!

Rafeiro Perfumado disse...

Mas olha que caminhar enquanto se dança vais demorar muito mais tempo!

© Piedade Araújo Sol disse...

e um abraço é tão bom.

voltaste e com mais um belo poema.

um beij

Mar Arável disse...

... um abraço pode ser

uma transfusão de sangue

Belo

Vieira Calado disse...

Olá, Paula, boa noite!

Venho desejar-te

Páscoa Feliz!

Saudações poéticas

Bjjss

Graça Pires disse...

"Dança comigo a quietude
E o silêncio neste meio dia
De ainda te abraçar" Tão triste e tão belo.
Um beijo, Paula e Boa Páscoa.

Anónimo disse...

Obrigada por ter voltado :D
Preciso de si para dizer o que nao sei dizer.
É bom sentir no meio da confusão da vida que há alguem que se sente como nós, e sabe exprimir tão bem o que o comum do mortais não consegue!

A. João Soares disse...

Páscoa Feliz

Convido a visitar os posts

Risco de «retrocesso civilizacional»

Risco de motim não deve ser negligenciado

Beijos
João
Sempre Jovens

wind disse...

Bonito:)
Beijos

Jaime A. disse...

Sempre o caminho, mesmo no silêncio, a ânsia do abraço.
Gostei muito.