quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Voltaste

Manhã, fruta fresca,
odor de uma voz.
Voltaste.
Lembro-me do dia
- subia a rua
e estava cansada -
que por ser diferente
aligeirou o meu passo.
Voltaste.

21 comentários:

Andradarte disse...

Poema fresco....definido,,,
Beijo

Isabel Filipe disse...

maravilhoso.
adorei.
bjs

Graça Pires disse...

Um regresso. A fruta fresca está ainda mais gostosa...
Um beijo, Paula.

Isa disse...

Quando o regresso é agradável vale
tanto!
Gosto mt dos teus poemas breves,mas
ricos de sentimentos.
Beijo.
isa.

Mona Lisa disse...

Olá

Soberbo!

O amor faz a diferença...

Bjs.

wind disse...

Finalmente um poema leve:)
Beijos

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema pequeno no tamanho...mas grande no que diz de sentimento.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

© Piedade Araújo Sol disse...

o regresso é sempre bom.

gostei!

beij

Ana Oliveira disse...

Tão breve e eloquente este regresso, celebrado nas coisas simples que ficam na memória a marcar o que importa lembrar.
Um beijo Paula

Justine disse...

A tua poesia continua luminosa, mesmo quando pincelada de alguma tristeza!
Um abraço, Paula:)))

Jaime A. disse...

O dia aligeirou o meu passo: que imagem linda.
Bom fim-de-semana adiantado :)

heretico disse...

reconfortante poema.
nada como um bom regresso...

beijos

Carmo disse...

Maravilhoso

Muito fresco, muito perfumado.

Um beijo e boa semana

Mar Arável disse...

Belo

o ciclo das marés

Carla disse...

também eu voltei...com vontade de reencontrar pérolas como esta "fruta fresca" que aqui ofereces
um beijo

manuela baptista disse...

e volto

muitas vezes, Paula!

umas vezes calada, outras com o odor de uma voz

e gosto de a ler

um beijo

manuela

© Piedade Araújo Sol disse...

obrigada!

beij

Eduardo Aleixo disse...

Bonito o teu poema.Bj

Sofá Amarelo disse...

Aligeiramos o passo quando as ruas tem um odor de frescura...

Vieira Calado disse...

Olá, Paula!

Pensei que já não tinhas blog.

Por várias vezes tentei e diziam-me

já não sei o quê

talvez indisponível ou outra coisa

qualquer.

Como vais?

Tudo Bem?

Desejo que sim.

Beijinhosss

Nilson Barcelli disse...

O poema do regresso.
Belíssimo, querida amiga.
Um beijo.