sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Melodia

As mãos. Soletram-se dedo a dedo.
Uma pauta e um piano:
vibram e tocam-se,
emanam do silêncio
as mais belas melodias.

Das mãos do teu olhar,
do teu poema de amor.
Como te encontrei tão tarde?
Como somos as nossas mãos?
E nós e a melodia?
Por onde andamos, afinal?

9 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Magnífico!

Senti como meu.


(...)Como te encontrei tão tarde?
Como somos as nossas mãos)...

Bjs.

Andradarte disse...

Como te encontrei tão tarde?
Por onde andamos, afinal?
Dramaticos desencontros..
Beijo

wind disse...

Belíssimo!
Beijos

Carmo disse...

Maravilhoso!

Boa semana

Bjs

© Piedade Araújo Sol disse...

PAula

que achas desta maneira?

Melodia

Por onde andamos, afinal?
E nós e a melodia
Como somos as nossas mãos?
Como te encontrei tão tarde?
do teu poema de amor
das mãos do teu olhar?

as mais belas melodias
emanam do silêncio
vibram e tocam-se
uma pauta e um piano:
As mãos. Soletram-se dedo a dedo.

um beij

Vanda Mª Madail Rafeiro disse...

Lindíssimo, Paula!
Abraço
Vanda

Sonhadora disse...

Minha querida
Um belo poema, muito terno, adorei.

Beijinhos
Sonhadora

Odele Souza disse...

Uma commposição perfeita. Poema e música. Ambos expressam os nossos sentimentos de forma única. Como neste teu bonito poema.

Beijos!

Jaime A. disse...

Por que será que as nossas mãos não se sobrepõem?
Ou será que sim, que se sobrepõem?