quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ano

O vento numa ideia,
a voz que ilude ao longe,
o mar,
o eco dos búzios,
a memória atraiçoada.
Já morreram todas
as estações do ano
e o vento - sempre o vento -
o eco e a memória, ideia e voz
e, o mar da minha Vida.

6 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Gostei do teu poema. Bj

mfc disse...

Ouço o vento e cheiro essa maresia boa que o teu poema nos trazem.

Mar Arável disse...

Tudo se move

no sentido do voo

wind disse...

Gosto muito!
Beijos

heretico disse...

bons ventos te acompanhem. sempre...

© Piedade Araújo Sol disse...

mar,vento e búzios...

gosto

beij